Economia

SPC aponta retomada de crescimento do varejo

10 Fevereiro 2018 00:00:00

Foto: Rúbio Marra

Por Danilo Cruvinel

"Janeiro de 2018, em comparação com o mesmo período de 2017 através dos dados fornecidos pelo SPC Uberaba, indica que tivemos 12% a mais de consultas. Isso demonstra, mais uma vez, a retomada do crescimento do varejo". O depoimento é do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Uberaba, Fúlvio Ferreira, ao falar sobre o balanço de janeiro do SPC Uberaba, serviço mantido pela CDL Uberaba em parceria com a Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Uberaba (Aciu).

"No começo do ano de 2017 ainda estávamos naquela sintonia do péssimo ano que tinha sido 2016. Por isso, janeiro do ano passado ainda foi muito fraco. Os números de 2018 são uma janela de oportunidades para todos os empresários de todos os segmentos e de todos os portes, para que eles façam a lição de casa: cuide muito bem da administração da empresa, estoque, parte financeira, funcionários e faça consultas para ter menos inadimplência, gerando menos problemas", pontuou.

O presidente da CDL ainda destaca que o balanço mensal do SPC Uberaba apontou aumento de 21,52% na quantidade de consumidores que tiveram alguma dívida registrada no órgão de proteção ao crédito. "Os registros também apresentaram crescimento. Isso significa que muitas pessoas andaram comprando além da capacidade de pagamento e tiveram seus nomes levado para registro no banco de dados. Mas, isso é cíclico e acreditamos que esse número deva abaixar em março, com muitas pessoas vindo a quitar suas contas, uma vez que o começo do ano tem o reflexo das contas de dezembro, além de despesas com férias, volta as aulas e impostos, principalmente IPVA e IPTU", comentou.

Entretanto, Fúlvio conta que foi registrado índice favorável com relação aos consumidores já inadimplentes que buscaram sair do vermelho. "Tivemos um número de cancelamentos muito superior. Em janeiro subiu 37,12% o volume de pessoas que fizeram algum tipo de negociação para sair do cadastro de inadimplentes, frente aos que deixaram o cadastro de devedores ao longo do primeiro mês do ano passado. Alguns tiveram suas contas atrapalhadas, mas outros estão quitando seus débitos e retomando o caráter de adimplência junto ao mercado", concluiu.

Imagens

Foto: Rúbio Marra