Cláudio Humberto

11 Janeiro 2018 17:25:00

"É mais do que possível. É necessário"

Moreira Franco (Secretaria-Geral) sobre a possibilidade de aprovação da reforma da Previdência

Justiça trabalhista tem R$197 milhões para moradia

Justiça mais cara do Brasil, mais dispendiosa que toda a justiça norte-americana, a Justiça do Trabalho terá em 2018 o total astronômico recorde de R$197,7 milhões para gastar apenas em "auxílio-moradia", ainda que os magistrados beneficiados tenham casa própria na cidade onde atuam. Tanto dinheiro para bancar esse privilégio único no mundo consta da Lei Orçamentária aprovada no Congresso e já sancionada.

Diplomacia gasta menos

O Ministério das Relações Exteriores gasta bem menos em auxílio-moradia dos seus funcionários lotados em 225 postos mundo afora.

Salário médio alto

A Justiça do Trabalho custou R$17 bilhões em 2016, dos quais R$15,9 bilhões (93,5%) bancaram apenas os salários dos 56 mil servidores.

Contas elevadas

O "auxílio-moradia" dos procuradores custará R$124,1 milhões e a mesma conta, no meio militar, alcança R$115,9 milhões.

Casta de privilegiados

A maioria pobre do País paga o "auxílio-moradia" do mesmo grupo de servidores federais cujos privilégios a reforma da Previdência combate.

Aéreas: maracutaia acaba, mas ninguém é punido

O Ministério do Planejamento suspendeu a portaria 555/14, assinada no governo Dilma, pela qual o governo passou a comprar passagens diretamente às companhias, sem licitação e sem redução de preços. A medida, de 2014, foi adotada após lobby das empresas aéreas. Como no modelito "Petrolão", as regras de contratação foram discutidas antes com as empresas a serem contratadas. E ninguém foi preso.

Pessoalmente

Os presidentes das principais empresas (Avianca, Azul, Gol, TAM) se reuniram no Ministério do Planejamento para acertar as benesses.

Como pinto no lixo

Além da portaria 555, Dilma editou a medida provisória 651/2014, que concedeu benefício fiscal de 7,05% às companhia aéreas.

Pedalando impostos

Com a MP 651, de Dilma, as companhia aéreas ganharam o "direito" de serem dispensadas da retenção de vários tributos na fonte .

Causa própria

Uma comissão da Câmara aprovou um projeto curioso, esta semana: comerciante com loja em aeroporto não pode cobrar o que quiser. Se virar lei, o projeto obrigaria a "regulação de preços" pelo aeroporto.

Novo em tudo

O partido Novo tem procurado adeptos nas praias alagoanas. Arma barraquinha e distribui balões cor de laranja entre banhistas. E explica que não será aceita a filiação de políticos em atividade. A conferir.


PODER SEM PUDOR

Ele era um perigo


Costa Rego fez fama como jornalista no Rio de Janeiro e, na década de 1920, voltou a Alagoas para ser governador. Austero, governou sob rigoroso estado de sítio, mas, incorrigível mulherengo, enfrentou alguns problemas, inclusive uma conhecida reprimenda do presidente Washington Luís. Seu secretário da Fazenda, Epaminondas Gracindo, pai do saudoso ator Paulo Gracindo, certo dia tomava o café da manhã quando Costa Rego foi entrando na sua casa com a maior naturalidade.

- Espere aí, governador! - gritou Epaminondas - Com essa sua fama de garanhão, o senhor não pode entrar na casa de uma família de respeito.

Governador e secretário despacharam na calçada.

Com André Brito e Tiago Vasconcelos

www.diariodopoder.com.br



Imagens

mais sobre: