Reflexões

Os mistérios do mar

12 Janeiro 2018 17:31:21

Aluizio Cezar Valladares Ribeiro

Em viagem de passagem de ano, tive a oportunidade de admirar ainda mais a grandeza do mar e seus mistérios, que trazem em seus influxos, ares que despertam a imaginação, expondo-nos ainda a reflexões de como somos únicos e pequenos se comparados a ele.

Mas quando retornamos a pensar no sentido de grandeza, ao mesmo tempo não podemos deixar de lado Aquele que elaborou e construiu tudo; o grande Arquiteto; o Pai de tudo; o Onipresente; o soprador da vida.

Sentado a cadeira e em frente ao mar, o pensamento voa e a introspecção vem imediatamente ao encontro da razão, colocando-a em xeque pelos mistérios da vida.

A observação em relação as marés, a vida marinha, as diversidades de animais, o equilíbrio, o pequenino plâncton que alimenta o maior mamífero, a lua e o sol como forças gravitacionais, em suma, a grandeza deste belo complexo de vida.

E assim somos nós, pequenos como grão de areia e enormes como o oceano em relação aos pensamentos e sentimentos que carregamos.

Nossa enormidade está na mescla D'alma e no sentimento misterioso perceptível que o Criador nos ofertou, deixando ao fundo da tela de nossas vidas o seu mistério, a verdade absoluta, a grande palavra que leva a essência fraternal.

E nesse sentido, viajei em meus pensamentos observando o mar, onde lá ao fundo, sem mesmo poder entender o atrás do horizonte, me veio a impressão da grandeza do olhar do Criador em sua magnitude, pois quanto mais adentrava pude notar, que aquele mesmo horizonte representava um grande abraço de dentro para fora.

O despertar de como somos grandes e como fomos feitos à Sua semelhança tiniu ao peito como Ser Humano, e ao mesmo tempo, a comparação ao grão de areia como ser humano me veio a têmpora.

Um mar enorme e um grão de areia todos nós somos, mas poder sentir a dimensão da diferença está no aprimoramento do conceito de fraternidade que aprendemos.

A transformação de estar Ser Humano é o que fará a diferença me veio ao ouvido e refleti.

Mais uma vez a sintonia da misteriosa energia me fez balançar ao vento, e ao fundo, o horizonte se aproximava.

Pude notar que a imensidão é esquadrinhada no sentimento puro de como nos colocamos ao Pai, porque a grande abóboda que nos cobre e complementada pelos céus.

Sentindo a maré que subia aos pés, respirei o ar que estava acostumado, notando que aquela porção que contagiava, filosofava aos olhos D'aquele que espera de nós.

Está tudo aqui à disposição pensei comigo! E porque não buscar o grande oceano que habita dentro de nós?

A coragem de navegar nos mistérios é o que fará de nós melhores Seres Humanos, pois a imensidão está no amor fraternal, coisa que o Cristo cansou de nos ensinar.

Busquemos nossa nau introspectiva para melhorarmos a cada vento, pois nossa sociedade só melhorará com o constante aprimoramento humano.

Aluizio Cezar Valladares Ribeiro - Servidor público/economista - acv.ribeiro@uol.com.br


mais sobre: