Deputados licenciados reassumem mandatos na ALMG e Tony Carlos volta a ser suplente

02 Fevereiro 2018 07:00:00

Foi publicada na manhã desta quinta-feira (1º), no "Diário Oficial de Minas Gerais", a exoneração de sete secretários do governo de Minas. Eles foram desligados para disputarem vagas na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nas eleições deste ano. A partir de agora, os secretários adjuntos vão tocar as pastas.

Na área da saúde, Sávio Souza Cruz (MDB) deixa o comando da pasta para tentar a reeleição na Assembleia. Inclusive, na manhã desta quinta-feira, ele já estava cumprindo o papel de deputado estadual na Casa. Com o retorno do parlamentar, Tony Carlos (PMDB) retorna à condição de suplente, sendo o primeiro suplente pela coligação Minas Para Todos (PT/Pros/PMDB/ PRB).

Também de olho numa cadeira na ALMG, a secretária de Educação, Macaé Evaristo, deixou o cargo. Ela publicou em suas redes sociais um vídeo em que agradece o tempo em que esteve à frente do posto.

Entre aqueles que também deixaram os cargos no governo para pleitearem uma vaga no legislativo estadual, estão Professor Neivaldo (PT), que chefiava a Secretaria de Desenvolvimento Agrário; Arnaldo Gontijo, que respondia pela pasta de Esportes; e Ricardo Faria (PCdoB), responsável pela Secretaria de Turismo e que volta agora para Assembleia de Minas.

Já de olho em cadeiras na Câmara dos Deputados estão Nilmário Miranda (PT), que era secretário de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania; e Wadson Ribeiro (PCdoB), que ocupava o cargo de ouvidor Geral do Estado. 

Imagens

Foto: Divulgação